A ideia de criação do Observatório da Energia Eólica tem origem durante o desenvolvimento do projeto “ Impactos da Energia Eólica no Litoral do Nordeste: perspectivas para a construção de uma visão integrada da produção de energia “limpa” no Brasil”, aprovado no edital PVE/CAPES n.9 2014 do Programa Ciência sem Fronteiras, quando o Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal do Ceará (UFC) iniciou parceria com o Departamento de Geografia da Texas A&M University. O projeto teve como principal objetivo analisar as perspectivas ambientais e sociais da implantação e do funcionamento de três parques eólicos instalados em setores do litoral oeste do Ceará, região de maior concentração de empreendimentos de energia eólica do estado, produzindo interrelações e analogias com parques eólicos implementados no estado do Texas, considerado o líder de geração de energia eólica nos Estados Unidos.

Em dezembro de 2016, o Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFC, em parceria com a Texas A&M University, a Universidade Federal do Cariri (UFCA) e a Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN), foi contemplado com recursos do edital PRONEM FUNCAP/ CNPq n.01/2016, cujo título do projeto foi “Análise socioambiental da implantação de parques eólicos no Nordeste: perspectivas para a sustentabilidade da geração de energia renovável no Brasil” e teve como objetivo geral analisar os impactos socioambientais da implantação de parques eólicos nos estados do Ceará e do Rio Grande do Norte, a partir da quantificação das mudanças das paisagens naturais e da percepção social das comunidades locais.

A partir de então, a ideia do Observatório da Energia Eólica foi fortalecida, tendo sido articulado o I Workshop do Observatório da Energia Eólica organizado pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFC, realizado nos dias 24 e 25 de novembro de 2017 no Laboratório de Geoprocessamento e Cartografia Social do Departamento de Geografia da UFC.